Le cœur the la mer

Eu estava perdido quando você me encontrou. O cenário a minha volta parecia igual, assim como os sons e as sensações, mas você me despertou, quebrou e libertou algo que eu jamais tinha sentido. Quando tocou meus lábios estranhei o sabor, parecia desconhecido e ao mesmo tempo tão familiar.

Mon cœur n'est pas a moi pour donner

Segui a teu lado, maravilhado com o horizonte, que completava tua beleza. Tão belo, tão hipnotizante. Assim, você me fez esquecer de toda a dor, da incerteza, das perguntas, mesmo sem me dar respostas. Ao te olhar nada mais importava, eu esquecia o resto do mundo, era só eu e você.

J'oubliais le reste du monde, il n'y seulement que moi et toi.

Mas você vinha de longe e eu também. Quando o outono chegou, quase imperceptível na paisagem, veio o "até logo", porque eu jamais poderia dizer adeus. Mergulhei em ti e você impregnou em mim, isso marca para sempre. De volta, já não poderia mais chamar minha casa de lar, quando sentia que meu lugar era contigo.

Um novo eu tinha nascido, eu sentia. Outros vieram e foram, mas eu jamais poderia dar-lhes meu coração, uma vez que meu coração não era meu para dar. Meu coração flutua em ti, carregado por tuas ondas, pulsando por sua maresia. Desde então, carrego no peito a rota que me guia, vagando, até ancorar em ti novamente.

Je porte dans la poitrine la route qui me guide, errant, pour ancrer une nouvelle fois.

Leia também: Me beija

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Palhaço Fulermino

Amizade virtual x Amizade real

Ben, filho do Ross de Friends, se forma na Universidade de NY

O preço da prostituição