Recaída

A pior coisa que pode acontecer a um viciado em recuperação é uma recaída. Quando Luís me chamou para conversar no meio da semana, estranhei seu comportamento, ele estava bebendo compulsivamente naquela noite.


_Eu transei com meu ex. Desabafou Luís, quando encontrou a coragem necessária para falar.
_Mas... Como? Vocês não estavam sem se falar? Ele não está namorando? Questionei atônito.
_Ele foi até a minha casa semana passada dizendo que não estava gostando do jeito que as coisas estavam entre nós. Tivemos uma briga e quando percebi já estávamos nos beijando. Contou Luís.

Naquela noite Luís me contou que seu ex havia lhe dito que ainda o amava e que sentia falta dele todos os dias. Luís não sabia no que acreditar, na imagem dele com o ex, felizes por todos os cantos da cidade, ou na palavra de alguém que ele achava não conhecer mais.

_Isso não pode acontecer de novo Luís. Você quer ser amante do seu ex?
_Não vai acontecer novamente. Assim que acabou ele foi embora e desde então não nos falamos mais. Confessou Luís.
_Isso até ele te procurar de novo. Você tem que cortar ele completamente da sua vida. Aconselhei.

Mesmo sabendo que iria demorar um pouco até a substância “ex” deixasse o organismo do Luís. Quando perdemos o controle da situação, não sabendo distinguir o certo do errado, é possível dizer que estamos reféns de algo. Nosso instinto costuma nos dizer para confiar naquilo que já conhecemos, a viver a vida repetindo padrões. 

Mudanças não são bem vistas por nosso organismo viciado. Muitos viciados em recuperação passam por uma recaída uma vez ou outra, o importante é não desistir do tratamento e reconhecer que o vício sempre faz mal. Luís encontrou seu grupo de apoio e um padrinho que sempre estará à disposição para impedi-lo de cair em tentação novamente.

Leia também: Caindo na noite

Comentários