O imperdoável

Espero que você nunca suspeite que deixei outros braços, senão os seus, envolver meu corpo em um abraço erótico.


Eu não pensei com clareza quando toquei meus lábios em lábios estranhos. E ainda assim eu não parei, eu não empurrei, eu não disse basta.

Minha mente se dividiu no momento, ficou inerte, deixou o instinto aflorar e devorar aquele corpo nu que eu não conhecia.

Dos meus arrependimentos este é, sem dúvida, o maior. E eu busco todos os dias a redenção, mas o limbo é o meu lugar.

Estar com você é estar no paraíso, mas minha alma é atormentada pelos meus pecados.
Esse é o segredo que eu escondo enquanto envelheço ao seu lado, o segredo que apodrece dentro de mim e profana tudo que construímos juntos. Mesmo que você me perdoasse, eu nunca me perdoaria.

Leia também: A tal dor de cotovelo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ben, filho do Ross de Friends, se forma na Universidade de NY

O Palhaço Fulermino

O preço da prostituição

Amizade virtual x Amizade real