Um meio-termo

O Ciúme, como todo sentimento, tem seu lado positivo e seu lado negativo. Uma pessoa acometida por tal sentimento vive com uma tênue divisão entre o ciúme bom, que tempera a relação, e o ciúme ruim, o monstro dos olhos verdes que dilacera o sentimento romântico, deixando o relacionamento à consumação por vermes.


Em minha última conversa com Luís, fiquei preocupado ao saber que ele vem se atormentando com a ideia de outro homem perseguindo quem ele ama. Luís, você não pode controlar a maneira como você se sente, muito menos a forma como os outros se sentem", eu disse.

A situação a cada dia que passa parece se agravar mais. Investidas cada vez mais descaradas provocam reações inseguras em Luís. Deixando a emoção tomar conta dos seus pensamentos tudo pode, ás vezes, se tornar fusco. É preciso dar passagem para a razão, a luz, e criar um meio-termo em tal situação que requer atenção de ambos.

Não que ele tenha com o que se preocupar, afinal, não há uma gota de intensão de trair da parte de quem realmente interessa. Mas é o sentimento, o incomodo. "Não é que eu não confie, eu confio, mas isso só me incomoda", diz Luís.

Quando existe amor, respeito e confiança, sentimentos como ciúme estão afivelados com o sinto de segurança e proporcionam ao casal uma união ainda mais fortalecida. Passados os segundos de domínio do monstro dos olhos verdes, digo a Luís, "Você vai ser feliz Luís", muito embora ele já saiba disso.

Comentários