Onde está o Lucas?

Era uma noite pacata de terça-feira. Fiz panquecas americanas para o jantar, com calda de caramelo. Ficaram uma delicia, mas eu comi demais e fiquei estendido em uma espreguiçadeira no terraço.


Talvez não tenha sido uma boa ideia, minha irmã estava perto pintando as unhas, ela vive fazendo isso, e minha mãe assistindo a novela. Meu pai chega do trabalho e diz que gostaria de falar comigo.

Nossa, sempre fico com o coração na mão quando alguém diz “quero falar com você” porque isso quer dizer coisa séria. Se fosse besteira a pessoa falaria logo e pronto.

Então minha irmã tratou de carregar o esmalte e dizer “me deixa ir ali”, meu pai falou com minha mãe como se fosse algo que os dois tivessem conversando antes e combinado de falar comigo “droga” pensei, vai ser pior do que eu imaginava.

Meu passado adolescente me lembrou de muitas conversas desse tipo. Há quanto tempo eu não levava um puxão de orelha? No final das contas meu pai falou que eu estava ausente:

_Mas pai eu estou sempre em casa.
_Sua irmã sempre vai ao nosso quarto conversar. Hoje na hora do almoço você quase não disse nada. Algum problema conosco?
_Não pai, eu ando me sentindo ausente também.
_Como assim?
_Sei lá, acho que é uma fase.
_Saiba que eu e sua mãe estamos aqui.

Meu pai, um homem de poucas palavras, disso o que tinha que dizer e saiu. Fisicamente, estou aqui, inclusive bem, mas se formos levar a questão pra outro plano eu não saberia responder, muito pelo contrário, é do meu total interesse descobrir a resposta da pergunta: onde eu estou?

Leia também: Contos de fadas

Comentários

  1. aaaaaaaaaaa que texto lindo *-*
    Já imaginava o porque do ausência, mas também me perguntei, por onde anda o lucas? O bom é saber que existe a ausência, o ruim é que eu não sei onde você está, e como o teu pai só posso dizer: Estou aqui.
    Se cuida <3

    ResponderExcluir
  2. Bom, comentar esse post não é fácil, mas me lembrei daquele filme do Adan Sandler, não me lembro o nome agora. Mas ele ficava de corpo presente em casa, mas a mente longe. A falta de atenção, ausência do diálogo, tudo isso remete a um certo tipo de ausência. Como vc deve se encontrar, não sei. Mas comece prestando atenção em quem está ao seu redor.
    Comece com um bom dia, como vai, oq tem feito, novidades, vamos ao cinema. Coisas triviais que farão grande diferença. Quem sabe vc não se encontra?
    Abraços
    Leandro Andrade
    http://diariodeplantao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Todo mundo uma hora se perde, é comum. Você só precisa rever em que ponto se perdeu, o caminho de volta é sempre mais dificil. :)

    Belo blog.

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo já teve uma fase assim. E você tem o privilégio de ter a sua familia por perto pra te apoiar. Parabéns pelo texto.

    http://boomnaweb.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ben, filho do Ross de Friends, se forma na Universidade de NY

Amizade virtual x Amizade real

O preço da prostituição

O Palhaço Fulermino