Dizendo adeus

Naquela noite, diferente de todas as outras, ele não hesitou. Não tinha nenhuma desculpa para não seguir em frente. Seguiu inconsciente ao destino e foi mais do que ele esperava, se apaixonou, é possível?

Dias depois, um novo encontro, um primeiro e segundo beijo, uma felicidade indescritível. Algum tempo se passou e seu sentimento era submetido constantemente à brincadeira de alguém de Lua. Não há nada que se possa fazer quando alguém está envolvido em ilusão, em fantasia.

Nunca haveria reciprocidade, nunca haveria felicidade, se continuasse a viver assim. É preciso muita dor para finalmente acordar e dizer adeus, ele imaginou que seu adeus não faria diferença alguma, mas mesmo assim, o disse de maneira breve.

Partiu e seguiu em frente, não seria fácil, mas era algo que precisava ser feito, um passo de cada vez, um dia após o outro e tudo aquilo não passaria de uma lembrança, um passado distante. A única certeza? Era a hora de dizer adeus.

Leia também: Primavera em Teresina.

Comentários

  1. Menino, eu vou te contratar pra contar a história da minha vida!! É um dramalhão mexicano daqueles bem caricatos num tem?!!
    Bem, essa é a minha vida e acho que ela merece um livro escrito por Lucas Marreiros!! XD

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Filmes para quem está solteiro no dia dos namorados

Eu te desejo o bem

Âncora