Um pouco de ar

Algumas vezes é preciso renunciar a um desejo. Aquele que gostamos mais. Quem sabe até é amor, seja lá o que isso for, se não é o certo, se não é bom e não nos faz bem, talvez seja preciso abdicar.


Como decidir entre o certo e o errado? Alguns preferem a segurança, algo que os mantenha com os pés no chão, longe de qualquer chance de se magoar ou fracassar.

Longe de tentar voar e acabar quebrando a cara. Será que vale a pena? Nunca se magoar? A autopreservação é mais confortável do que viver com o peito aberto e cara para o sol.

Mas e as emoções, e as aventuras da vida? Entre ganhar ou perder é melhor viver. Mesmo cansado de nadar contra a correnteza, afundando nos próprios sentimentos, basta ir a superfície mais uma vez e pegar um pouco de ar.

Leia também: E quem vai me consertar?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ben, filho do Ross de Friends, se forma na Universidade de NY

Amizade virtual x Amizade real

O Palhaço Fulermino

O preço da prostituição