Melhor sozinho

Aqui está você novamente se perguntando "Será que ele não viu a mensagem?", "Será que ele esqueceu de responder?" e outras mil perguntas que você se faz já desculpando o outro por sua "negligência". A verdade é que, uma das maiores mentiras do mundo é a de que somos responsáveis por aquilo que cativamos, deveríamos ser (?), mas não somos.


Essa não é a primeira vez e todo mundo já passou por isso. Minha criação realista grita comigo: "Esse cara não merece sequer mais uma chance". Mas alguma coisa que deu muito errado nesse processo me faz pensar: "se fosse comigo eu odiaria ser mal interpretado".

Longa história resumida: Se existe interesse há resposta, procura e reciproca. E há muito mais, quando o sentimento é mutuo. Embora experiências unilaterais nos levem a acreditar que o menor vestígio de afeição possa ser visto como algum tipo de amor. Apenas: Não.

Por que deveríamos nos contentar em ser a espera de alguém por alguém "melhor"? O passatempo? Nunca entendi isso. Não consigo ser leviano com sentimento dos outros e até aceito fazer parte da brincadeira, quando estou carente, mas quando percebo que o brinquedo sou eu, é hora de dar um basta.

Então sim. Melhor sozinho. Bem melhor sozinho do que com alguém pela metade, alguém perseguindo a próxima grande paixão. Melhor deixar esses livres para se resolverem da única forma que sabem como. Já a solidão, ela não é ruim quando você se ama a ponto de não permitir ser segunda opção. Já dizia Madonna: Não se contente com isso, baby!

Leia também: Outro adeus

Comentários