Segredo

Tudo que vivi até hoje seria um motivo para eu te dizer não. Mas eu não consegui recusar seu beijo e fiz uma viagem sem volta. Lençóis bagunçados são rastros que levam a lugar nenhum, diferente de onde você me deixou, entre o prazer e a culpa.


E agora eu ando sem rumo, relembrando momentos de paixão, enviando sinais para o universo, para que me mande qualquer coisa, ou qualquer pessoa, que me faça viajar novamente, chega de segurança, quero sentir a velocidade fazer o vento balançar meus cabelos, fechar os olhos e sentir o estômago chutar.

Por que eu sou a calmaria e a tormenta, vagando pela vida ordinária com o gosto do passado glorioso, com a esperança de um futuro maior. O que o eu procuro está por aí, não sei por qual nome atende, mas sei que preciso experimentar até encontrar. Ainda não consigo explicar, é algo que pode me fazer mal de alguma forma e fazer com que eu me sinta tão bem ao mesmo tempo.

As vezes preciso fechar os olhos e deixar os outros sentidos aflorarem. Enquanto você beija o meu pescoço e suas mãos percorrem o meu corpo, não existe mais certo e errado no mundo. Eu preciso morder meus lábios e agarrar sua pele entre meus dados para conter a energia que você libera dentro de mim.

No fim, a gente deixa nossa bagunça para trás e outros terão que arrumar, porque seguimos caminhos diferentes, levando apenas o belo segredo que guardamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Palhaço Fulermino

Amizade virtual x Amizade real

Ben, filho do Ross de Friends, se forma na Universidade de NY

O preço da prostituição