Prelúdio

Mais um dezembro que começa, é mais um ano que termina. E o que será da minha vida daqui para frente? O céu fechado e a neblina são um presságio.


Esse teto sobre a minha cabeça e esse chão sob os meu pés me dão a sensação de segurança, mas dentro de mim uma tempestade balança minhas certezas. É só mais um final, é o que eu repito.

Você sempre fica assim, eu penso. Não precisa significar nada. Tenho fé no que se esconde atrás das nuvens, a chuva veio para selar o novo começo, mais um dia é uma nova vida. Os erros de ontem são passado, os acertos também.

É preciso se esforçar mais. Por que? Por que não? O vento me dá o fôlego para começar de novo, novos territórios me aguardam. O silêncio é revigorante, é como se eu nunca o tivesse ouvido antes.

É hora dos pés tocarem o chão e abrir os passos para mais um prelúdio. Talvez seja diferente.


Comentários