Toscana

Há muito tempo eu queria fazer um espaço aqui no blog para falar de viagens e lugares, só que eu nunca fui para lugar nenhum além dos estados vizinhos. Isso sempre me impediu. No entanto, viagens sempre me inspiram, mesmo aquelas que a gente não precisa de passaporte, só de uma boa imaginação e outra ferramenta muito útil: a internet.

Então, surge a editoria Lugares, para trazer um pouco do que eu quero conhecer do mundo. Eu realmente deveria começar por Nova Iorque, que é o primeiro lugar que eu pretendo ir. Mas eu resolvi fugir só um pouco do clichê (só um pouco mesmo).

E o primeiro lugar é: Toscana (Itália). Essa cidade é o lado medieval da Itália, vive sem pressa, num ritmo delicioso, entre refeições dos deuses e vinhos nobres. Afinal o que é ir a Itália e não comer boa comida e tomar bom vinho?! Outro detalhe muito importante: o idioma. O italiano é lindo.

A Toscana é considerada uma das regiões mais belas e românticas da Itália, para se ter uma ideia, a expressão “viver sob o sol da Toscana” é muito popular.


Culinária

Comer bem na Toscana é uma obrigação. Os ingredientes são fartos, variados e de qualidade. Se a bistecca alla fiorentina, um bife alto, aromático e suculento, é o símbolo da gastronomia local, também merece o título seu perfumado azeite de oliva. A variedade de carnes é ampla, de caça a javalis, de porco a boi, a essência de uma escola de açougueiros cujas habilidades se espalharam pelo mundo.


Considerando que a região é vizinha da Emilia-Romanha -- de onde vem queijos como o parmesão, grana padana e o azeite balsâmico -- pode se afirmar que os restaurantes são muito bem abastecidos. Boa parte deles conta com menus fixos, com entrada (o antispasto, que pode ser uma saladinha, embutidos variados ou um crostini), primeiro prato (um prato quente, podendo ser um risoto, massa ou sopa), segundo prato (normalmente uma carne acompanhado do contorno, um acompanhamento) e uma taça de vinho da casa. Ocasionalmente está incluído no preço uma sobremesa simples e café.

Na hora do lanche, há sempre um bar ou lanchonete -- ou mesmo quiosques -- que trazem paninis ou sanduíches com recheios que variam de prosciutto a mozzarella de búfala. Cafés, como em toda a Itália, estão sempre próximos e trazem especialidades locais, como o zuccotto (um bolinho de recheado de amêndoas e chocolate).

Vinhos

Os mais conhecidos rótulos da região são o Chianti Classico (um tinto que virou best-seller mundo afora), o Vino Nobile de Montepulciano (semelhante ao Chianti, mas considerado superior), o Vernaccia di San Gimignano (um branco fresco e frutado) e o Brunello di Montalcino (um tinto feito da uva Sangiovese).


Vários viticultores abrem as portas de suas casas para a visita de turistas, com direito a degustações e passeios técnicos.

Roteiro

Um roteiro pela Toscana merece ao menos uma semana para uma viagem variada, mesclando visitas a museus, igrejas, cidades históricas e vinícolas. Reserve três dias para conhecer Florença e seus monumentos renascentistas. Dali, você pode fazer uma viagem de ida e volta para Pisa e Lucca. Passe outros dois dias na região entre Siena e San Gimignano e um adicional para conhecer as vinícolas de Chianti. Complemente a viagem com passagens por Arezzo.

Fonte: Viaje Aqui Abril
Veja também: A violência na mídia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filmes para quem está solteiro no dia dos namorados

Eu te desejo o bem

Sem medo