Luxemburgo

Esse pequeno país, de meio milhão de habitantes, é cercado por três vizinhos nobres: França, Alemanha e Bélgica. O que torna possível, caso você esteja em Paris, por exemplo, pegar um TVG (trem de alta velociade) e em são duas horas e 10 minutos você estará em Luxemburgo.

Fotos por Claudia Liechavicius

Apesar de pequeno, o Grão-Ducado mostra seu poder e ostenta a maior renda per capta do mundo. Basta olhar para suas ruas limpíssimas, prédios impecáveis, praças floridas, muito verde, áreas históricas bem cuidadas, pessoas super educadas e você vai entender o que isso significa.
Não há mendigos na rua, ninguém pede um trocado para cuidar seu carro, na porta da igreja ninguém olha tristemente para você com a mão estendida, ou seja, problemas sociais não são vistos por ali. Bem pelo contrário, tudo exala capricho.

Luxemburgo é um país bem peculiar. É o único grão-ducado ainda existente. É uma democracia parlamentar representada por um Grão-Duque. É membro fundador da União Europeia e da ONU. Foi um dos primeiros países a adotar o euro. Tem três idiomas oficiais: luxemburguês, alemão e francês, e, além desses quase todas as pessoas falam inglês.
É dividido em três distritos. É um Estado laico. Já viveu da extração de minerais e hoje vive principalmente com base no setor bancário - como a Suiça. A cidade de Luxemburgo é a capital e está na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO por sua importância histórica. Já foi designada duas vezes como Capital Europeia da Cultura. Bem, só isso já justifica uma visita.

Para circular pela cidade, você pode utilizar o trussé Express. O trenzinho verde faz um tour de uma hora passando pelos principais pontos turísticos da cidade. Adultos pagam 8,50 e crianças 5 euros. Os tickets podem ser comprados na Place de la Constitution.
Ou optar pelo City Sightseeing Luxembourg. O ônibus vermelho de dois andares faz um trajeto maior do que o trenzinho. O ticket pode ser comprado no próprio ônibus em qualquer uma de suas paradas e pode ser usado por 24 horas. O preço para adultos é 14 euros e para crianças 7.

Além dessas duas opções, você pode também andar. É possível percorrer a cidade inteira em menos de quatro horas.

No centro da cidade, a Place Guillaume II (Ou William Square) ostenta um monumento equestre do Rei do Grão-Ducado, Guglielmo II. De um dos lados da praça fica o prédio da  Câmara Municipal em estilo neoclássico, com dois leões em bronze. 
Ainda na região central de Luxemburgo, outras três praças chamam atenção. A Place Jan Palach (nome dado em homenagem ao primeiro aniversário da invasão da Tchecoslováquia  pelas tropas do Pacto de Varsóvia), a Place Clairefontaine (reformada nos anos 80, é onde fica a sede do governo) e a Place D'Armes, onde muitas pessoas ficam sentadas tomando sol depois do almoço.
Place Clairefontaine

Outro importante monumento histórico e arquitetônico de Luxemburgo é o Palácio dos Grão Duques. Visitas guiadas podem ser feitas ao palácio, que já serviu como residência da família real, Prefeitura, sede do governo de Luxemburgo e Câmara dos Deputados. Visitas guiadas podem ser feitas ao palácio.
Curiosamente, a cidade tem 95 pontes. Para onde quer que se olhe há uma ponte. Mas, o mais interessante da cidade são as misteriosas casamatas de Bock e Pétrusse. Se elas pudessem falar contariam muitas histórias sobres as batalhas de Luxemburgo.
As casamatas são passagens subterrâneas secretas interligadas aos centros militares de proteção da cidade - um super sistema de defesa. Elas somam mais de 23 quilômetros de extensão. Por isso, Luxemburgo tem o apelido de "Gibraltar do Norte".
Durante a II Guerra Mundial, as casamatas foram usadas como abrigo para a população. Mais de 35 mil pessoas foram protegidas dos bombardeios graças a esses esconderijos. Em 1994, a UNESCO inscreveu Luxemburgo, merecidamente, como Patrimônio Mundial.

Fonte: Viajar pelo mundo
Conheça também: Estocolmo em #Lugares

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filmes para quem está solteiro no dia dos namorados

Eu te desejo o bem

Âncora