Estocolmo

"Lugares" é um espaço aqui no blog para falar de viagens, aquelas que a gente não precisa de passaporte, só de uma boa imaginação e outra ferramenta muito útil: a internet.

Primeiro nós viajamos para Toscana (Itália), hoje nós vamos dar uma esticada até Estocolmo, na Suécia.

Cercada de água por todos os lados, a cidade foi construída sobre 14 ilhotas. É a capital do país e maior cidade. Pode ser percorrida a pé facilmente. Ostenta canais espetaculares, muitos museus e prédios históricos pintados em tom pastel.

Por Claudia Liechavicius

Como a cidade foi construída sobre um arquipélago, é cheia de pontes. Pelas ruas, um povo super alegre e hospitaleiro aproveitando ao máximo os poucos dias do ano em que podem desfrutar do verão. Muita água, muito verde, muitos barcos e uma arquitetura caprichada, quase cenográfica. Assim é Estocolmo, a capital da Suécia. Mais charmosa impossível. Um sonho de cidade que além disso tudo ainda é limpíssima e muito segura.

Em Gamla Stan - Cidade Velha - pulsa o coração medieval da cidade, em três ilhas. Com sua tradição real, não poderia faltar um palácio, claro. E lá está ele, o Kungliga Slottet, do século XVII, renascentista com interior barroco e rococó.

Na bonita Stortorget Square, fica o Nobelmuseet, um dos tantos museus. A leste, na ilha de Skeppsholmen, fica o Moderna Museet com obras de artistas como Kandinsky, Dalí, Magritte e Picasso. Mais ao sul está o enorme museu a céu aberto, o Skansen, que ilustra a história social da Suécia por meio de 150 prédios antigos, além de ter também um zoológico.

Por Claudia Liechavicius

A maioria dos bares da moda ficam na Praça Stureplan e na Ilha de Sodermalm, reduto de músicos e artistas. Norrmalm é um bairro empresarial onde estão prédios importantes como a Royal Opera e o National Museum. O paraíso do consumo fica concentrado nas grandes lojas de departamentos, galerias e lojas de design das ruas Hammgatam, Kungsgatan e Klarabergsgatan.

A graça de Estocolmo está exatamente na sua configuração. A cidade, que não é muito grande e tem uma população que gira ao redor de um milhão de habitantes, está estrategicamente posicionada sobre 14 ilhas ligadas por mais de 50 pontes. É cercada de água por todos os lados, na região onde o lago Mälaren encontra o mar Báltico, o que a torna fotogênica demais. Linda de ponta a ponta. A qualquer hora do dia. Não é à toa que seu apelido é "Veneza do Norte".

Bebidas e culinária

Il Café, para provar o bolo sueco de canela ou pedir as tradicionais almôndegas no almoço (Drottninggatan 85), KB restaurante bem antigo e ponto de encontro de artistas (Smälandsgatan 7), Oaxen para curtir o por do sol (Beckholmsvagen 26), Gastrologik agraciado com uma estrela Michelin (Artillerigatan 14), Speceriet mais informal, Nosh & Chow para comidinhas leves (Norrlandsgatan 24) ou Richie (Birger Jarlsgatan 4).

O restaurante Den Gyldene Freden, na rua Österlanggatan, que consta no Guinness como o mais antigo do mundo. Funciona desde 1722 e tem o interior igual desde essa época.

Fonte: Gyldenefreden

Pausa para "fika"

Um dos hábitos interessantes dos suecos é a pausa para "fika". É a hora de tomar uma bela caneca de café acompanhada de uma fatia de torta ou de um doce. Desde o século XVII os suecos são movidos a café. Tem fama de ser um dos países que mais toma café no mundo, perdendo o primeiro lugar no podium apenas para a Finlândia. Dois lugares legais para a "fika" são:

Vetekatten, na rua Kungsgatan 55
Sturekatten, na rua Riddargatan 4

Como circular

Andar por Estocolmo pode ser cansativo para quem não está habituado a percorrer grandes distâncias, apesar da cidade não ser muito grande. No entanto, ela é espalhada sobre a água e ir de uma ilha para outra implica em boas caminhadas. O melhor modo de circular é de bicicleta. Há muitas ciclovias conectando as ilhas e a população têm o hábito de usar a bicicleta como meio de transporte, o que serve como estímulo.

Além das bicicletas, Estocolmo tem um excelente sistema de transporte público. Também é possível transitar de bonde elétrico, ônibus, barco e metrô. O mais interessante é que há um sistema comum de bilhetes que permite que se use os diferentes tipos de transporte com a compra de um único bilhete ou de um cartão com validade para o período que você escolher. Prático e eficiente. 

Fonte: Viajar pelo mundo
Leia também: Toscana

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filmes para quem está solteiro no dia dos namorados

Eu te desejo o bem

Âncora